Microfisioterapia | Terapia Manual | Instituto Salgado de Saúde Integral

Blog / Artigos

04/04/2017

Avaliação da eficácia clínica da microfisioterapia na cervicalgia pós-traumática - Artigo publicado

Avaliação da eficácia clínica da microfisioterapia na cervicalgia pós-traumática 

(Baconnier P, Vial B,Vaudaux G et al. Evaluation of the clinical effectiveness of microkinesitherapy in post-traumatic cervicalgia. A randomized, double-blinded clinical trial. MTP&RehabJournal 2016; 14:385)

http://www.mtprehabjournal.com/volume14/issuex

O objetivo da pesquisa foi de avaliar a eficácia do tratamento com microfisioterapia em trauma cervical com duração inferior a três meses. A avaliação foi feita de acordo com a evolução de dois parâmetros, dor e mobilidade articular, antes e após o tratamento. Isto foi comparado com um tratamento simulado.

O ensaio clínico duplo-cego, aleatorizado foi constituído de 29 pacientes com dor pós-traumática cervical menor que 3 meses. 15 pacientes foram incluídos no grupo microfisioterapia onde um fisioterapeuta com 10 anos de experiência na técnica realizou o procedimento. Assim, o fisioterapeuta pesquisou os músculos e elementos articulares que haviam sido danificados durante o trauma, por um exame específico de micropalpação. Então o terapeuta tentou normalizar a tensão muscular por um estiramento muito suavemente do músculo correspondente, na área dérmica detectada pela micropalpação. Já o grupo controle, consistiu de 14 pacientes em que fisioterapeuta realizou uma simulação de tratamento em áreas musculares e dérmicas sem ligação embriológica com a região cervical. Essas ações eram indistinguíveis para o médico investigador não treinado em técnicas de microcinesterapia, bem como o paciente, garantindo assim o respeito do procedimento duplo-cego. Os parâmetros foram pesquisados antes e após 10 dias da sessão de microfisioterapia.

Os pacientes tratados com microfisioterapia apresentaram melhora estatisticamente significante na avaliação da dor pela VAS e na amplitude de flexão-extensão. No grupo controle, não houve melhora significativa. Os valores médios de dor e amplitude de movimento não foram estatisticamente diferentes entre os dois grupos na segunda avaliação.

Este estudo mostra a eficácia da microfisioterapia na dor cervical pós-traumática na população estudada em dois parâmetros: dor e amplitudes de flexão-extensão. A partir destes resultados estatisticamente significativos, pensamos que a microfisioterapia seja um potencial adjuvante para a cervicalgia pós-traumática.